sábado, 19 de novembro de 2011

Vestes dos mestres de cerimónias das catedrais anglicanas. Embora apresentem variantes, este tipo de vestes mantem-se relativamente estável: veste talar de dois corpos sobrepostos composta por sotaina de carcela assertoada e garnacha munida de mangões de entretalhos (com boina Tudor). Este feitio de manga aparece em esculturas sacras do século XVIII que retratam doutores em Medicina pela Universidade de Salamanca. O modelo de base é o mesmo da toga judiciária portuguesa. Resta concluir que na sua origem estas vestes eram usadas por padres, humanistas, jurisconsultos e lentes de universidades um pouco por toda a Europa (estão sinalizadas em Itália, Espanha, Portugal, Grã-Bretanha).
A incorporação de elementos regionais terá acontecido no século XIX, graças aos nacionalismos campeantes, aos contributos dos alfaiates (tal como os fabricantes de instrumentos de corda, os alfaiates gostavam de meter os seus contributos pessoais nas vestes confeccionadas) e aos caprichos dos clientes.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial