sábado, 4 de fevereiro de 2012

Património académico ibérico: retrato do Padre Doutor Landislau Gil de la Serna y Martín Blas, conhecido por Manuel Gil Martín (1876-1936), nascido e formado em Toledo. Padre e professor em Toledo. Fuzilado em 1936. Fotografado em hábito talar romano (batina talar e manteo español), luvas brancas (guantes), muceta e birrete laureado. Nas universidades históricas da Pensínsula Ibérica os hábitos talares do clero regular e os hábitos talares do clero secular são para todos os efeitos equivalentes às vestes professorais e reitorais, podendo usar-se com as respetivas insígnias. Na atualidade esta tradição está praticamente caída em desuso, embora seja expressamente referida na legislação universitária espanhola e nas tradições orais da Universidade de Coimbra. A única diferença entre a tradição espanhola e a tradição de Coimbra é a seguinte: os graduados espanhóis costumam usar insígnias completas com o hábito talar religioso, enquanto que em Coimbra os graduados têm privilégio de uso de barrete com dispensa de capelo. Daqui vem a "misteriosa" tradição dos reitores e vice-reitores de Coimbra usarem borla sem capelo, costume consolidado durante séculos por reitores eclesiásticos. Tudo o mais que se diga e escreva sobre o referido costume é pura fantasia.
Fonte: http://www.persecusionreligiosa.es/toledo/

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial