sábado, 11 de fevereiro de 2012

"Política. O bando ministerial distribuindo o programa da função", caricatura de Rafaeal Bordalo Pinheiro publicada n'O António Maria n.º 2, de 19.6.1879. Figuração dos políticos mediáticos do momento.
O bando e pregão eram uma tradição medieval enraizada nos municípios de Portugal e do Brasil, que foi abolida nos câmaras municipais portuguesas em finais do século XIX mas que ainda se mantém em Espanha. Com bando musical e pregão se anunciavam publicamente nos municípios os principais atos legislativos, administrativos e judiciários e os programas das festividades. O pregão começava habitualmente na varanda de honra dos paços do concelho (anúncio, proclamação) e percorria as praças e ruas mais importantes. Era composto pelo alferes da bandeira, pelo pregoeiro e pelos músicos da charanga municipal. Pelas notícias de que disponho esta tradição apenas será praticada na cidade de Guimarães no contexto das festas académicas de S. Nicolau, conhecidas por Nicolinas. Eis aqui um excelente instrumento de revalorização de centros históricos, combinando património imobiliário, património imaterial oral, arquivos municipais, grupos de teatro e comunidade escolar numa lógica de utilização sustentável de recursos locais e atracção de públicos. Em muitas instituições, o património é apenas um peso morto e por vezes incómodo. Mas não tem que ser necessariamente assim.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial