sexta-feira, 18 de maio de 2012

Canto da Verónica em São João del Rei (2009)

Um exemplo da continuidade de práticas religiosas católicas intercontinentais enquadráveis no âmbito do património oral imaterial. O canto da Verónica na procissão do Enterro do Senhor em São João del Rei, Brasil, abril de 2009.

Vai para mais de 30 anos que não ouvia este sentidíssimo lamento da Verónica que ao longo da procissão parava, subia a um mocho de quatro pernas, desenrolava dramaticamente a toalha com o rosto de Cristo e entoava: "O vos omnes qui transitis per viam/Attendite et videte si est dolor sicut dolor meus".

4 Comentários:

Blogger JVC disse...

E em Ponta Delgada, quando eu era menino, a menina que cantava o O vos omnes subia para um banquinho na varanda da casa sobre a Papelaria Minerva, bem no enfiamento da R. António José de Almeida (R. Nova da Matriz). Coitada da miúda, talvez apanhasse algumas reguadas até aquilo sair afinado.

19 de maio de 2012 às 04:38  
Blogger Virtual Memories disse...

Na minha terra o canto da Verónia era ensaiado durante semanas. Habitualmente era protagonizado por uma das filhas do mestre capela da paroquial. Eis uma dimensão menos conhecida do cerimonial, cuja importância é nuclear: os ensaios que precediam os atos como atos/autos (representações dramáticas). Não conheço propriamente muitas peças tão globalmente melodramáticas com o lamento da Verónica. Bem, talvez alguns cantos judaicos e alguns temas de 1.º tenor do reportório da Canção de Coimbra...
AMNunes

19 de maio de 2012 às 07:03  
Blogger JVC disse...

António, não esqueça as belíssimas e pungentes orações do terço de Esprite Sante de S. Miguel, e em particular o Misericórdia.

Também a encomendação das almas, dos romeiros da nossa terra. Ouvi-a há dois ou três anos, na paragem de um rancho na Igreja da Esperança, e chorei...

Este sentido do sentido das coisas tem um pouco a ver com eu dar tanta importância com seriedade ao cerimonial, que o meu amigo faz-me o favor de reconhecer. É que não há cultura de cerimonial que não tenha na base a herança dos valores e símbolos dos nossos antepassados. Tudo o resto é coisa de tias organizadoras de eventos.

19 de maio de 2012 às 07:21  
Blogger Virtual Memories disse...

Fica combinado que iremos editando o que encontrarmos de significativo. De umas darei notícia, de outras de instigará o meu Amigo a conhecer e partilhar.
Vai para mais de 20 anos, o Cristóvão de Aguiar avisou-me em tom paternalista que com a idade se fica de bem com o património emotivo. Se isso significar qualidade de vida, então dou razão ao Cristóvão de Aguiar!
AMNunes

19 de maio de 2012 às 07:34  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial