sábado, 19 de maio de 2012

Procissão do Enterro do Senhor, Monchique (2011)

Um regístico fílmico bastante expressivo que eram as antigas procissões do Enterro do Senhor Morto na 6.ª feira da Paixão, Monchique/Algarve, 21.4.2011.
Destaco a forte presença imagética e cerimonialística da irmandade da Misericórdia com a sua veste corporativa e insígnias.
Subsistem sinais óbvios de costumes europeus e ibéricos oriundos dos séculos XV e XVI, como sejam: capuzes deitados pelas cabeças em sinais de luto cerrado; esquife transportado aos ombros debaixo de um pálio; bandeiras e estandartes levados em braços e às costas, cobertos de crepes pretos e com as hastes ao arrastão pelo chão ("de rojo", diziam os documentos); o obsidiante som das matracas; o canto da Verónica, que em determinadas comunidades seguia imediatamente diante do esquife.

1-canto fúnebre e matracas (irmãos com balandraus pretos e capuzes deitados pela cabeça);
2-lanternas, bandeira derreada (sem crepes) e vara;
3-lanternas, bandeira derreada e vara;
4-lanternas, bandeira derreada e vara;
5-lanternas, bandeira derreada e vara;
6-Santa Cruz;
7-esquife do Senhor Morto debaixo do pálio (exatamente como nas iluminuras e gravuras dos séculos XVI que reportam os cortejos fúnebres de D. Manuel I de Portugal e Isabel I de Inglaterra; e como consta dos artigos dos "Compromissos" das santas casas em matéria de funerais e recolha das ossadas dos supliciados na forca);
8-acólitos com túnicas brancas;
9-clero com capas de asperges;
10-lanternas, imagens sacras e bandeira alçada;
11-cerimónia intratemplo

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial