sábado, 12 de maio de 2012

Retrato de frei Isidoro do Espírito Santo, monge beneditino, século XVIII, acervo do Museu de Évora, n.º de Inv. ME 667
Veste túnica preta beneditina e sobre a mesa ostenta barrete doutoral de Teologia. Este é de armação quadrangular, forrado de seda preta, sem cristas, ornado de pega barroca revestida de passamanaria de seda branca. Da base da pega descem os fiapos de seda da borla que ultrapassam o rebordo inferior, apercebendo-se a espaços festões armados. Pega muito simples, armada com prego/parafuso interno, 3 bolbos e pequena haste, sobrepostos, sendo o da base mais volumoso. Os bolbos revestiam-se a agulha e fio de seda, um a um, num longo jogo de habilidade e paciência que obrigava a bordadeira a ter a pele das mãos muito lisa e a ir humedecedo o fio com saliva. Este exemplar corresponde ao barrete doutoral laureado ibérico. Como é sabido o barrete quadrado foi abandonado na Universidade de Coimbra com a reforma pombalina de 1772. Uma nota suplementar: não consegui obter dados sobre o retratado, salvo que seria natural de Santarém. Terá obtido o grau de doutor em Coimbra ou em Évora?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial