terça-feira, 1 de maio de 2012

Retrato a óleo do Doutor Martín Villar y Garcia (1835-?)
A Universidade de Zaragoza tem vindo a disponibilizar no sítio "Patrimonio de la Universidad de Zaragoza" obras de arte e abundantes retratos a óleo de antigos professores, decanos e reitores. Estes retratos suscitam-nos alguma perplexidade "iconográfica". Temos docentes representados com toga preta e punhos de renda, uns com os punhos de cetim na cor da especialidade científica, outros com simples punhos rendados. Temos detentores de cargos retratados duas vezes, num caso com capelo preto reitoral e barrete na cor da especialidade científica, noutro caso com insígnias da cor da especialidade científica. A análise comparada dos retratos realizados entre a segunda metade do século XIX e a década de 1920 patenteia a evolução morfológica da toga judiciária, especialmente ao nível da transformação da manga de balão em manga tubular. Há reitores cujo retrato regista não o barrete preto mas o barrete sextavado dos bacharéis e licenciados, com borla curta. A murça, em cetim, segue o modelo generalizado em todas as universidades espanholas na década de 1950. Quanto ao barrete, o novo modelo judiciário (com e sem franja laureada) coexiste até finais da década de 1890 com a borla de florão e laurea dourada. No início do século XX este tipo de barrete ficará confinado apenas à Universidade de Coimbra e às faculdades de Direito do Brasil que tinham sido instaladas no século XIX.
Neste retrato, Villar y Garcia figura sentado numa cadeira de couro. Veste toga judiciária preta com bocamangas de renda branca. Não se percebe bem se por debaixo dos encaixes de renda há canhões de cetim azul claro. Ostenta insígnias doutorais em azul claro, cor de Filosofia e Literatura, ciência em que se doutorara na Universidade Central de Madrid (atual complutense). Sobre a murça, banda de seda branca e amarela, cordão e diversas condecorações. Sobre a mesa, borla doutoral com franjado de seda azul, pega e fiapos dourados. Villar y Garcia lecionou hebreu na Universidade de Oviedo e oratória na Universidade de Zaragoza. Nesta última foi decano de Filosofia e Letras (1870-1884) e reitor (1884-1885; 1890-1892). Neste retrato não observamos qualquer mistura de azul claro com vermelho, atendendo a que Villar y Garcia também era licenciado em Direito pela Universidade Central de Madrid. Resta saber qual seja o exato grau de fiabilidade de alguns destes retratos a óleo realizados por Luís Peyo entre 1946-1956. O que se sabe é que trabalhou sobre fotografias de época. Mas também sabemos que as fotografias eram a preto e branco.
Fonte: http://moncayo.unizar.es/web/patrimonioartistico/

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial