terça-feira, 21 de agosto de 2012

Honoris causa de Léon Duguit (1923)

Académicos que promoveram a atribuição do doutoramento honoris causa pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa ao professor da Universidade de Bordéus Léon Duguit. Lisboa, edifício da Academia das Ciências, 7.12.1923.
Os docentes da FD/UL apresentam vestes e insígnias conformes à tradição conimbricense, seguindo assim uma prática primeiramente adoptada pelas faculdades de Direito fundadas na década de 1830 no Brasil (São Paulo e Olinda/Recife). Uma importante diferença a assinalar entre as escolas brasileiras e a FD/UL: no Brasil usa-se desde o início toga de feição judiciária conforme o paradigma oitocentista das escolas laicas e napoleónicas, com borla e capelo, enquanto que na FD/UL (criada em 1913) a partir de 1915 se começa a usar o conjunto conimbricense completo (hábito talar+borla+capelo). Houve exceções, é certo, mas estas acabaram por não pesar na identidade institucional da nova escola. Foi o caso do Prof. Barbosa de Magalhães que envergava toga de advogado+borla+capelo, admitindo assim no mundo universitário os trajes judiciários [eqivalência já então campeante nas universidades de  França, Espanha, Itália), experiência que décadas mais tarde a Universidade Lusófona haveria de consagrar no seu manual de cerimonial (v.01: 2011).
Fonte: Ilustração Portuguesa n.º 930, de 15.12.1923

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial