terça-feira, 18 de setembro de 2012

Honoris causa de Joffre, Diaz e Dorien (1921)

Final da cerimónia pública de atribuição do doutoramento honoris causa em Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra ao Marechal Joseph-Jacques Joffre, ao Generalíssimo de Itália Armando Diaz e ao General Sir Smith Dorien. Escadarias da Via Latina, pátio das Escolas, 15.4.1921.
Fonte: Ilustração Portuguesa n.º 793, de 30.4.1921

Comentários:
1) tratou-se do primeiro honoris causa conferido segundo os estilos do antigo cerimonial conimbricense, com as devidas adaptações (sem missa, sem juramento de fé, colação feita em pé frente ao reitor);
2) contrariamente à narrativa mais consensualizada, não foi o primeiro d.h.c. concedido pela UC, uma vez que os primeiros rituais deste género foram realizados em 1916 por professores da jovem Faculdade de Letras e atribuídos a professores dessa mesma escola;
3) a cerimónia foi pensada e conduzida pelo Reitor Interino, Prof. Doutor Joaquim de Oliveira Guimarães, que com sagacidade e prudência conseguiu revitalizar o cerimonial conimbricense, desvinculando assim a UC da posição de vigilância e de rédea curta em que era trazida nos últimos anos pelos titulares da pasta da Instrução;
4) fica provado que os chamados "doutoramentos políticos" são muito anteriores ao honoris conferido pela Faculdade de Direito ao Generalíssimo Francisco Franco;
5) nesta cerimónia não foi apenas agraciado Joffre. Tratou-se de um d.h.c. triplo, que reuniu no mesmo espaço e tempo Joffre, Diaz e Dorien;
6) o Ministro da Instrução Pública Júlio Martins esteve presente mas não desempenhou nenhum protagonismo protocolar, nem o poderia ter desempenhado em face dos costumes académicos;
7) Joffre está no centro da fotografia e veste a sua farda de general. Quer isto dizer que a UC aceitou atribuir as insígnias e colar os graus com os homenageados vestidos com os seus grandes uniformes militares. Esta bizarria não vingou e ainda bem pois o uniforme militar não tem equivalência ao hábito talar, nem sequer se podendo invocar a contrario revogados artigos do Regulamento da Polícia Académica de 25.11.1839 que dispunham sobre o assunto mas apenas para estudantes;
8) nesta cerimónia proferiu todos os elogios o jovem doutorado Diogo Pacheco de Amorim.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial