segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Retrato de Alfonso Sebastiá Viñals (1910-1936), beato da Igreja Católica, sacerdote, formado no seminário conciliar de Valencia, fuzilado em 1936.
Enverga a variante clássica do traje dos antigos alunos dos seminários católicos e universidades da Pensínsula Ibérica e territórios da América Latina:

-veste de baixo ou sotaina trapezoidal, dita nos documemtos anteriores ao século XIX "çarrada", por ser de vestir e despir pela cabeça. Não tinha colarinho algum e na frente, sobre o peito, metia uma carcela de cerca de um palmo. Era em pano preto, mas nalgumas gravuras e retratos de época observa-se um tom acastanhado. O que era próprio das sotainas ordinárias era serem vestidas pelo pescoço, não tendo mais de que uma curta carcela peitoral, sendo as costas lisas e sem saio, como acontece na erradamente chamada batina ambrosiana de Milão (que é para todos os efeitos uma velha sotaina e não tem caraterísticas regionais), na roupeta dos jesuítas e na veste dos padres passionistas;
-sobreveste trapezoidal, com orifício folgado para a cabeça/pescoço e rasgos nos ombros para a passagem das mangas da sotaina. Nalguns exemplares visualizados, não havia costuras de ombros, sendo a sobreveste fixada com fitilhos;
-barrete de quatro picos;
-beca comprida, vermelha (?), lançada em V sobre os ombros, com longas pontas a cair pelas costas. Nalguns seminários espanhóis e da América Latina aplicava-se no lado esquerdo da beca o brasão da instituição. Este tipo de estola também se usou em alguns seminários portugueses e pelo menos em dois colégios agregados à Universidade de Coimbra.
Fonte: http://www.acdp.es/?page_id=103

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial