domingo, 6 de janeiro de 2013

Em França, o hábito curto, em tecido seda, foi considerado um traje de elevado prestígio social. Usou-se como traje prático adequado a viagens e como traje de corte (despacho, audiências, serões culturais, sessões solenes em academias). Um exemplo: retrato de Jean-Sifrein Maury, pregador do rei Luís XVI em 1789.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial