sexta-feira, 19 de abril de 2013

Perguntando
«mantel ou mantéu»?, 1.4.2013

Respondendo
Em inglês mantel e até mantele. Em italiano mantello para ampla capa talar rematada na linha do pescoço por generoso capuz de pano. Em francês manteau para abafo, agasalho ou sobretudo, quer dizer, ampla veste de trazer por fora ou por cima da indumentária, pelo que pode ser capa e casacão. Em castelhano mantéu, como no português antigo, para significar a longa, ampla e trapezoidal capa que os jesuítas popularizaram, e que ainda hoje é usada pelos estudantes e lentes da Universidade de Coimbra e por alguns membros do clero católico espanhol. Os espanhóis pretendem que este tipo de mantéu seja chamado mantéu espanhol, pretensão que não se pode subscrever pois o mantéu nunca foi peça de indumentária circunscrita às fronteiras de Espanha.
Além de abafo eclesiástico, o mantéu foi também:
a) capa de grande gala usada em contextos palacianos como audiências. O modelo de maior aparato conhecido era o exibido na corte papal, em seda, nas cores das diferentes dignidades, sendo conhecido por ferraiolo. A diferença morfológica de fundo entre o ferraiolo e o mantéu que prevaleceu na Península Ibérica é que o primeiro tem amplas bandas dianteiras dobradas para fora e uma gola comprida (cabeção), enquanto que o segundo não tem bandas e apresenta em cima simples colarinho;
b) capa feminina de grande gala, de honra ou de ver-a-Deus, que as mulheres portuguesas usaram abundantemente entre finais do século XVIII e meados do século XIX, em lã preta, castanha e até azul escura. O feitio segue no essencial o do ferraiolo, com o típico corte em trapézio, as bandas dianteiras com e sem bordados e o cabeção a escorregar pelas omoplatas.
Palavras da família serão manto, abrangendo os mantos régios de aparato, vestes femininas que rematavam sobre a cabeça com bioco armado (caso do manto das mulheres da ilha Terceira, Açores) e a sobreveste de mangas falsas que se usava sobre a sotaina, quando não tinha feitio de garnacha, pelo que tinha como sinónimo chamarra.
Para confundir: na verdade existiram na Península Ibérica dois tipos de mantéus, o grande e o meio. A diferença estava na quantidade de pano que se empregava na confeção e no esquema de ligação dos panos. O meio mantéu é o agora usam os professores da Universidade de Coimbra, a que os alfaiates locais deram em subir a bainha e em roubar os panos da frente, parecendo que foi metido na máquina de secar e que encolheu.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial