quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Portugal, carnaval de 1924. Fantasia com três figurantes que muito forçadamente procuram imitar indumentária de tricanas de Coimbra e de um estudante. A composição é marcada por anacronismos, fantasia e pela convicção enraizada de que o traje académico era um traje folclórico. Anos mais tarde seria mesmo integrado nas coleções do Museu de Arte Popular.

1 Comentários:

Blogger Paulo Morais alexandre disse...

Senhor doutor,
Tem porventura o pdf do seu texto:“Subsídio para o estudo genético-evolutivo do Hábito Talar na Universidade de Coimbra” que não consigo encontrar?
o meu e-mail é: paulomoraisalexandre@gmail.com
Com os melhores cumprimentos, agradeço de antemão,
Paulo Morais-Alexandre

24 de março de 2016 às 10:34  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial