quinta-feira, 7 de junho de 2012

Espólio do Padre Correia da Cunha (3): cerimónia não identificada (inauguração de? benção de bacalhoeiros?).
O cardeal patriarca de Lisboa D. Manuel Gonçalves Cerejeira caminha seguido por dois cónegos capitulares, vendo-se mais ao fundo um caudatário. Um pouco mais à frente vemos um dignitário vestindo mantellone. O cardeal Cerejeira veste capa magna com murça de arminhos, segurando-lhe a fralda um pajem caudatário (era com este hábito que os cardeais romanos prestavam juramento de fidelidade aos novos papas romanos e eram coroados com o galero. Numa fotobiografia de Cerejeira editada recentemente vê-se claramente o galero, que a autora da fotobiografia não identifica, chapeirão dos cardeais romanos que é frequentemente confundido com o capello romano. O capello romano é uma chapeleta de feltro ou castorina com glandes, e não com borlas, que o cardeal Cerejeira exibe na presente fotografia).
De grande interesse nesta fotografia são os capelos róseos dos dois cónegos capitulares da Sé de Lisboa, bem descidos na frente, com a sua carcela de botõezinhos bordados a fio de seda, os seus alamares e rosáceas e o seu longo capuz dorsal. É exatamente o mesmo modelo que me foi mostrado pelo Cónego Isaías da Rosa Pereira em julho de 1990 na casa do patriarcado que habitava à rua Renato Baptista. Que destino terá levado o enxoval do Cónego Isaías, a murça de arminhos, o capelo de cónego, o capelo verde de doutor em Cânones pela Universidade Pontifícia de Salamanca?
Fonte: agradeço a JoãoPaulo Dias e ao blogue Padre José Correia da Cunha, http://padrecorreiadacunha.blogspot.pt/, a autorização para editar as fotografias aqui divulgadas.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial