quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Cerimónia de abertura da Universidade de Lisboa (1918)

Cerimónia de abertura do ano académico na Universidade de Lisboa, edifício da Faculdade de Ciências, inverno de 1918.
Aspetos da chegada do PRP Sidónio Pais e do ato solene em sala com presença de convidados e professores das várias faculdades. Sentado na 1.ª fila, com a veste da antiga Médico-Cirúrgica, parece estar o ainda muito novo Azevedo Neves que se distinguiu na FM/UL e foi um pioneiro na reforma dos serviços de medicina legal em Portugal.
O protocolo adotado na organização da cerimónia parece-nos decalcado nas cerimónias de abertura do ano académico que se faziam tanto na Academia das Ciências de Lisboa quanto na Médico-Cirúrgica.
Da estrutura do ato constaram:

-receção exterior e apresentação de cumprimentos ao chefe de Estado e ao ministro da Instrução Pública;
-cortejo em direção à sala [possilvelmente sem participação do corpo docente, no que se terá imitado a já tradicional ida dos PRP ao Parlamento. Segue-se o protocolo praticado pela presidência da República, Parlamento e Academia das Ciências na organização do cortejo e na constituição da mesa de honra: PRP preside, tomando a posição central, dá a direita ao ministro da Instrução e a esquerda ao reitor];
-sessão solene com discurso do reitor, elogio/saudação ao PRP [tradição anterior a 1910, também praticada em Coimbra. No rigor dos rigores, quando o chefe de estado participa numa cerimónia universitária deve ser recebido, cumprimentado, saudado em sala e acompanhado à saída. As universidades raramente respeitam esta norma, omitindo a saudação] e distribuição de prémios a estudantes [nas décadas seguintes, a UL passará também a integrar nesta cerimónia a outorga de insígnias e cartas doutorais (e d.h.c.?)];
-oração de sapiência;
-despedida.

Notas:
1 - Preside ao ato não o reitor Pedro Cunha mas o PRP Sidónio Pais que visita a UL revestido com farda militar;
2 - O reitor veste casaca e cartola e ocupa o 3.º lugar na ordem de precedência, à esquerda do PRP;
3 - O ministro da Instrução Pública Alfredo Magalhães veste sobrecasaca e cartola e ocupa o 2.º lugar na ordem de precedência, à direita do PRP;
4 - Conforme se escreveu no corpo da legenda, a UL não organiza a lista de precedências de acordo com a tradição da Universidade de Coimbra pois naquela instituição o PRP não preside aos atos e só pode tomar lugar atrás do reitor (cortejos) ou ao seu lado direito (em sala). Por seu turno, o ministro titular da pasta da instrução/ensino tem precedência sobre os demais ministros mas ocupa o lugar que lhe está reservado no protocolo de Estado, pelo que não pode ladear o PRP nem o reitor, nem usar da palavra;
5 - O artigo refere que os estudantes lançaram as capas no chão, tradição académica ibérica multissecular que se praticava nas universidades e nos seminários católicos.
Fonte: Ilustração Portuguesa n.º 670, de 23.12.1918

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial