sexta-feira, 6 de setembro de 2013

QE 8: «Devagar que tenho pressa», de F. Guedes, 1917
Cena moralizadora alusiva à escola do ensino primário na 1.ª República. Trabalho figurativo de descodificação imediata, preenche o cenário com um edifício escolar funcional e figura cinco estudantes no momento da saída da escola. Todos alunos do sexo masculino, todos calçados, todos fardados de marujinho e com veste vitoriana burguesa (calção, meias altas, casaco/jaqueta e boina). Muito presentes os valores político-sociais da ordem, asseio, disciplina, respeito pelos mais velhos e sentido de cumprimento dos deveres individuais. No que respeita aos princípios de civilidade e boas maneiras, a escola pública portuguesa dos anos da 1.ª República reproduzia os mesmos ideais campeantes nos regimes republicanos ocidentais: combate ao analfabetismo, laicidade do ensino público, devoção patriótica, culto dos valores militares viris. Embora as escolas públicas portuguesas não estivessem obrigadas por lei a exigir aos seus alunos um uniforme corporativo, nas escolas rurais combatia-se o pé descalço, a roupa rota e a pele encardida, enquanto que nas escolas mais urbanas estavam generalizadas as vestimentas de inspiração militar.
Fonte: seleção sobre uma série de 12 cartazes ilustrados, produzidos entre 1916-1917, no contexto da participação de Portugal na Grande Guerra, e distribuídos pelas salas de aula das escolas de ensino primário. Coleção de Jorge Silva, on line no sítio Almanach Silva, postagens de 5.1.2013

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial