sábado, 17 de março de 2012

Cultura académica: retrato de Juan de Mosquera y Sotello (1638-?), estudante, lente e reitor do Colégio Mayor de Nuestra Señora del Rosario. Lecionou filosofia e teologia. Exerceu o reitorado por duas vezes, de 1666 a 1667 e de 1673 a 1676.
Figurado de pé, com a cabeça descoberta e mãos descalçadas. Veste loba talar escura de dois corpos, sendo a sobreveste cerrada. Visíveis a volta branca e a beca branca com o símbolo do colégio. Livro na mão esquerda. Sobre pilha de livros, o barrete doutoral de quatro picos, com as borlas azuis e brancas de Filosofia e Teologia, sendo a copa do barrete encimada por florão central.
A tradição ibérica do barrete doutoral com florão ou pega apenas se mantém na Universidade de Coimbra e no barrete processional de Santa Teresa de Ávila (Alba de Tormes). Usou-se até à década de 1890 nas universidades de Sevilha e Zaragoza, até ser absorvido pelo modelo geral octavado que fora consagrado pelo governo de Espanha em 1850. As raízes deste ornato ainda não estão convenientemente esclarecidas. Pelo que conheço através da análise iconográfica comparada, a explicação mais consistente aponta para uma possível origem oriental: coberturas de cabeça dos altos dignitários da China, Tibete, Coreia, Ceilão. Na Europa, o que temos de mais próximo no plano estético e simbólico são os capacetes militares com os seus penachos de aparato e as borlas dos chapéus eclesiásticos.
Fonte: retrato existente na aula magna do colégio, http://urartegrupo1.wordpress.com/

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial