domingo, 12 de maio de 2013

Custódia do Divino Espírito Santo do império de São João d'El-Rei, Brasil, fabricada em 1868 por Manoel Pereira Maya. Esteve guardada longos anos no altar-mor da igreja do Senhor Bom Jesus. Imagem disponível em http://www.familiagocalves.com.br/igreja/
Custódia em metal policromado com base, fuste, resplendor dourado e encimado por cruz, e centro inscrito em céu delimitado por anjinhos e nuvens. Apresenta a pomba de asas abertas, dois cetros cruzados e uma coroa inspirada nas insígnias da casa real brasileira.
Em gravuras de Débret, as irmandades brasileiras do Espírito Santo saem em peditório com custódias cujo desenho e ornamentação não eram claramente percetíveis. Em Portugal as insígnias da coroa eram constituídas pelos seguintes elementos:
a) pendão processional (Eiras, Tomar, Alenquer, Sintra);
b) bandeira da folia;
c) bandeira do mastro da casa;
d) bandeira ou estandarte da coroa;
e) estoque imperial;
f) coroa e cetro;
g) varas dos mordomos e oficiais (Açores, Brasil);
h) as braçadeiras e laços de peito ou de braço (Açores, Penedo, Alenquer noutros tempos);
 i) opa vermelha (antiga veste dos irmãos e dignitários);
j) as toalhas bordadas (presas entre o ombro e o flanco, como faixas, ilha de São Jorge, Açores).

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial